O RJ Móvel, quadro do RJ TV primeira edição da quinta-feira, 31/01, mostrou o estado de calamidade em que se encontra a rua Divino Alcides dos Santos, no bairro do Carmo.

Num show de ‘humor amargo’, a repórter Susana Naspolini fez várias brincadeiras irônicas mostrando a situação da rua Divino Alcides dos Santos, que dado ao seu estado de abandono não permite o trânsito de carros e sequer de bicicletas, causando enormes transtornos para os moradores.

O carro da reportagem da Globo não conseguiu subir a rua, mesmo empurrado por uma multidão.

É de praxe da reportagem do RJ TV convidar as autoridades para se manifestarem sobre os problemas apresentados. Dessa vez não apareceu o Prefeito Carlos Vilela, nem o Secretário de Obras João Pedro Lemos, nem o de Serviços Públicos Rogério Brandi. A difícil tarefa de explicar o descaso da Prefeitura com os moradores daquela via foi atribuída ao jornalista Leandro Machado, da Secretaria Municipal de Comunicação Social.

O jornalista Leandro Santana, da Secretaria Municipal de Comunicação Social, foi o porta-voz da Prefeitura.

Leandro falou do serviço paliativo que já começava a ser feito por máquinas que já estavam no local para ‘o pessoal poder começar a ter acesso às suas casas com dignidade”. Questionado por uma moradora sobre quando chegaria o asfalto, ele explicou que “Tanto o governo do Estado quanto o governo Federal vão abrir agora para os municípios protocolarem os seus projetos de infraestrutura. Como sempre a Prefeitura de Queimados vai protocolar os seus projetos de infraestrutura … pra ontem…”

Antes que concluísse suas explicações, Susana Naspolini perguntou ao povo em volta o nome do Prefeito e dirigiu-se a ele com um apelo: “Carlos Vilela, por favor, dá uma olhada nisso…tá?. Esse é o recado”,  arrematou a repórter, e imediatamente pegou um calendário para marcar a data de retorno  para saber das providências que serão tomadas. Ela volta em 16 de abril.

Um dos pontos altos da reportagem foi o desabafo da moradora da rua, Dona Penha, cega, cujo esposo, Sr. Ivo, vive numa cadeira de rodas. Eles não conseguem sair de casa por conta das condições deploráveis da rua, cheia de buracos e desníveis: “Eu só quero dizer para o prefeito que essa é a vida que ele está dando pra nós. Nós estamos sendo prisioneiros”, lamentou Dona Penha.

Ao longo da reportagem Susana registrou, além do carro da Globo, um Carro de Bombeiros que não conseguiu subir a rua, e criou várias situações hilárias para demonstrar a dificuldade / impossibilidade de acesso à rua Divino Alcides dos Santos, no bairro do Carmo, em Queimados.

Subir de bicicleta também não dá.
Pra descer a rua de modo menos arriscado, só mesmo com muita criatividade.
Pra subir, melhor é usar o rapel.

COMENTÁRIOS