Em nota pública assinada por sua presidente, postada em sua página (perfil) no Facebook, na tarde desta terça-feira, 15/01, o Instituto Educacional de Nossa Senhora Aparecida – IENSA, entidade gestora da Creche Iensa, no Belmonte, informa que a partir deste mês de janeiro de 2019 deixará de “executar o convênio para prestação do serviço de creche à Prefeitura Municipal de Queimados – PMQ.”

A nota afirma que a Secretaria Municipal de Educação, SEMED, “lamentavelmente, não possui boa comunicação com os órgãos de controle e fiscalização da municipalidade, dando azo a inúmeras instabilidades nos processos de prestação de contas e, consequentemente, atrasos nos repasses de verba.”

A nota fala ainda de inúmeras tentativas de conciliação sem êxito, diz que atualmente existe um débito financeiro de 12 meses por parte da Prefeitura e  que “a municipalidade “impõe à instituição exacerbada burocracia, informações equivocadas, falhas de comunicação e paciência de aguardar todos os infindáveis trâmites administrativos de pagamento que nunca chegam ao efetivo desembolso da importância devida à instituição.”

O Instituto Iensa afirma que “manterá suas missões sociais e filantrópicas através de novos projetos sociais na área de educação, iniciando um novo momento para, na medida do possível atender quem necessita e repor os prejuízos acumulados pelos convênios celebrados com a municipalidade”, e anuncia que “para o ano de 2019, entregará a administração da creche escola para nova mantenedora que continuará prestando os serviços a preços populares mediante formalização de contrato de prestação de serviços educacionais”.

Na área destinada a comentários, a “Prefeitura Municipal de Queimados” publicou uma nota em que responsabiliza o Iensa pelo atraso nos repasses, em decorrência de “falhas nas prestações de contas” e  afirma que a Instituição não cumpriu os acordos firmados junto ao Ministério Público e à Secretaria de Educação.”

A Prefeitura afirma ainda que “a totalidade das exigências só foi entregue nesta terça-feira (15/01)” e ressalva que isso “inviabilizou o repasse’, sem no entanto explicar porque o repasse está inviabilizado, já que admite que a prestação foi entregue na totalidade.

A Creche Iensa atendeu ao longo de todo o ano letivo de 2018 um total de 129 (cento e vinte e nove) crianças de até 5 (cinco) anos de idade e tinha um convênio com a Prefeitura que deveria lhe garantir um repasse mensal em torno de R$ 23.000,00 (vinte e três mil reais).

Veja as íntegras das notas públicas do IENSA e da Prefeitura

PUBLICIDADE LOCAL

COMENTÁRIOS