A situação política na Câmara Municipal de Mesquita está complicadíssima e o impasse deve se agravar ainda mais nos próximos dias. Um grupo de 7 (sete) dos 12 (doze) vereadores do município destituiu o Presidente e elegeu uma nova Mesa Diretora.

A ata da sessão extraordinária que aprovou a troca de comando está publicada numa edição extraordinária do Diário Oficial de Mesquita, com data do feriado de 1º de janeiro de 2019, mesma data em que a sessão foi realizada no estacionamento da Câmara nas dependências do Tênis Clube de Mesquita, já que o presidente destituído impediu o acesso dos vereadores ‘revoltosos’ ao Plenário da Casa.

A articulação para destituir o Presidente contou com o apoio do vice-presidente da Mesa Diretora de Biriba, o vereador Amaury Trindade, que foi quem, por autorização dos 7 (sete) revoltosos (ele incluído), convocou a sessão extraordinária para destituir a Mesa Diretora da qual fazia parte. Além de Amaury e dos novos membros da Mesa Diretora a iniciativa do novo processo eleitoral e a eleição da nova Mesa contou com o apoio dos vereadores Cris Gêmeas, do PC DO B; Gelson Henrique, do Solidariedade e Pebo Pinheiro do PRB.

A Mesa Diretora eleita na sessão extraordinária de 1º de janeiro, para o biênio 2019/ 2020, ficou assim constituída: Presidente – Sain’t Clair Esperança Passos (Nininho); Vice-Presidente – Roberto de Souza Emídio; Secretário – Marcel Roberto Pinheiro Gomes.

Não participaram da referida sessão os vereadores Marcelo dos Santos Rosa (Biriba), do PRB, presidente deposto, Leonardo Andrade, Professor Max e Russo do Radiador, todos três do PHS, e Vandinho da Gráfica, do MDB.

Na página oficial da Câmara Municipal de Mesquita no facebook, Marcelo Biriba reagiu, através de nota assinada pela ASCOM – Assessoria de Comunicação Social, garantindo que “o vereador Biriba continua como presidente da Casa Legislativa” e explicando que nos próximos dias a Casa está em recesso e que “os funcionários se mantém em greve por ainda não terem recebidos os proventos do mês de dezembro e o décimo terceiro, e que a Câmara ainda não recebeu o duodécimo do mês, da Prefeitura Municipal de Mesquita…”

A situação atual dos funcionários é pior do que sugere a mensagem da ASCOM no facebook, já que todos os comissionados da Câmara Municipal de Mesquita, inclusive os membros da ASCOM e da Procuradoria Geral, num total de 127, foram exonerados, através da Portaria Nº 01/2019/GAP, publicada na edição extra do Diário Oficial de Mesquita do dia 01/01/2019.

 Toda essa confusão começou em 29 de agosto de 2017, com a aprovação da Resolução 10/17, que alterou o Regimento Interno da Câmara permitindo a antecipação da eleição da Mesa Diretora para o segundo biênio da Legislatura.

Com base nessa decisão, em 13 de setembro de 2017, com apenas 09 (nove) meses de mandato do primeiro biênio, foi feita a reeleição da Mesa Diretora, reconduzindo Biriba a um segundo mandato para a presidência, que só começaria a exercer agora em janeiro de 2019.

Parte dos vereadores que apoiaram essa inusitada manobra regimental se arrependeram e em março de 2018, através da Resolução 03/18, anularam a resolução 10/17 e todos os atos praticados com base nela e, por conseguinte, a reeleição da Mesa.

De lá pra cá a situação política da Câmara de Vereadores de Mesquita degringolou.

Os vereadores  estão há quatro meses sem receber pagamento, segundo Marcelo Biriba, por conta da redução do repasse mensal para a Câmara que caiu de R$ 710.000,00 para 350.000,00, desde junho de 2018, por aprovação da própria Câmara.

Essa é uma história também curiosa que contaremos com detalhes noutra oportunidade.

Aguardemos os próximos capítulos dessa confusão sem precedentes no legislativo mesquitense: em recesso, com um novo presidente que ainda não conseguiu sequer entrar na Casa e outro que destituído se recusa a sair, todos os comissionados demitidos e todos, inclusive os vereadores, sem receber pagamentos de seus salários.

 

PUBLICIDADE LOCAL

COMENTÁRIOS